Home Mação, Portugal Selecting strategies: Stakeholder Workshop 2

Selecting strategies: Stakeholder Workshop 2 Print

NB This report also covers the Góis study site and contains a mixture of English and Portuguese content.

 

Results and conclusions from Stakeholder Workshop 2 "Selection and decision on technologies/approaches to be implemented", held in the Góis municipality, Portugal, from February 19-20, 2009.

Authors: Celeste Coelho, João Soares, Jorge Moreira, Manuela Carreiras e Sandra Valente.

 

The workshop methodology was designed and coordinated through Research Theme 3: Potential prevention & mitigation strategies and consisted of three main elements:

  • A participatory approach to guide and lead the workshop participants through a process of multi-criteria evaluation of different options which finally results in decision-making on strategies to be field-tested.
  • The WOCAT database containing locally applied options as well as options from a number of other contexts.
  • 'Facilitator', a Multi Objective Decision Support System (MODSS) software to support the single steps of the evaluation and decision-making process.

Target groups were the same as in the 1st workshop: local stakeholders (land users, representatives of local authorities, local NGOs) and external stakeholders (researchers, development professionals, NGOs, GOs).

 

The following strategies were discussed during the workshop. Of these, Strategies 1 (Prescribed fire) and 2 (Preventive forestry) were selected by the stakeholders for implementation in the study site.

 

1. Fogo Controlado (Prescribed fire)

Uso do fogo para melhoria das pastagens, redução da carga combustível e reduzir a propagação de incêndios florestais.

iconWP3.3 Strategies: Portugal (prescribed fire)_PT (5.56 MB)

 

 

2. Silvicultura preventiva (Preventive forestry)

A prevenção florestal é uma acção que pretende reduzir o número de incêndios florestais e a sua incidência em termos de área ardida. Prevenir os incêndios implica o desenvolvimento de diversas actividades como as acções de silvicultura preventiva, melhoria das infra-estruturas de defesa, sensibilização da população para o correcto uso do fogo e para a detecção precoce dos incêndios.
iconWP3.3 Strategies: Portugal (preventive forestry)_PT (1.52 MB)

 

3. Intervenções no sub-coberto (Actions in the sub-cover)

A vegetação arbustiva constitui o principal veículo de propagação dos incêndios florestais. O crescimento excessivo desta componente potencia a formação de combustíveis que pode propagar um incêndio de superfície às copas dos povoamentos florestais. Neste sentido, as intervenções a este nível são essenciais como forma de reduzir e Iimitar o avanço dos incêndios, sendo que a conservação do solo e da água resulta da redução da frequência e intensidade da combustão.

iconWP3.3 Strategies: Portugal (sub-cover)_PT (2.93 MB)

 

4. Faixas de Gestão Estratégica de Combustível - duas técnicas (Strategic management of fuel strips - two strategies)

Rede de faixas de gestão de cornbustível (Primary Strip Network System for Fuel Management)

Faixas de gestão de combustível corresponde ao conjunto de parcelas lineares de território, estrategicamente localizadas, onde se garante a remoção total ou parcial de biomassa forestal, através da afectação a usos não florestais e do recurso a determinadas actividades ou a técnicas silvícolas com o objectivo principal de reduzir o perigo de incêndio.
iconWP3.3 Strategies: Portugal (primary strip)_PT (1.22 MB)

Corta-Fogos (Firebreaks)

Os corta-fogos são um intervalo na vegetação ou outro material combustível. Estes actuam como barreiras para atrasar ou parar os incêndios florestais. Os corta-fogos podem ser de origem natural ou de intervenção humana. Os rios, lagos e ravinas são exemplos de corta-fogos naturais. Por sua vez, o derrube de árvores e as estradas são alguns exemplos de corta-fogos feitos pelo Homem.
iconWP3.3 Strategies: Portugal (firebreak)_PT (1.46 MB)

 

5. Infra-estruturas de apoio à floresta - duas técnicas (Infrastructures of forest support - two strategies)

Pontos de Água (Water points)

Os pontos de água são zonas alagadas artificialmente, com água proveniente de qualquer forma de precipitação atmosférica ou de cursos de água, e podem ser formados por pequenas barragens de terra batida, charcas escavadas com ou sem revestimento, etc. Além disso, ao serem construídos ou colocados no interior dos povoamentos florestais, vão melhorar as condições de combate aos incêndios florestais e, simultaneamente, contribuir para potenciar a biodiversidade nos locais onde são colocados.
iconWP3.3 Strategies: Portugal (water points)_PT (1.46 MB)

Postos de vigia (Forest fire watch-towers)

A rápida e eficaz detecção dos focos é consensualmente considerada como sendo um dos aspectos mais importantes para evitar a ocorrência de grandes incêndios. Como tal, para além do investimento em meios materiais e humanos, importa conhecer o funcionamento e eficácia dos diferentes sistemas de vigilância, pois só assim se poderá garantir a optimização dos recursos na vigilância contra incêndios florestais.
iconWP3.3 Strategies: Portugal (watch-towers)_PT (1.27 MB)

 

View photographs taken during the workshop

More details ...download the full report and see general results and conclusions from other study sites

WP3.3 Stakeholder Workshop 2 Portugal (report)

WP3.3 Stakeholder Workshop 2 Portugal (report)_PT
»Selecting strategies: Stakeholder Workshop 2 methodology and summary results from all study sites

 

 

 
fig17.jpg.jpg

Acknowledgement

fp6 logo 3 50 x 43
The DESIRE project was 
co-funded by the
European Commission,
Global Change and
Ecosystem.
Contract no: 037046 GOCE

DESIRE brought together the expertise of
26 international research institutes
and non-governmental organisations.

This website does not necessarily
represent the opinion of the
European Commission. The European
Commission is not responsible for
any use that might be made of the
information contained herein.

Citing website content

For the terms under which the content 
of this website may be used see 
»Disclaimer, copyright and privacy

When referenceing page contents
please cite as Brandt, C. J. (ed). 
2012. "page title". DESIRE Project 
Harmonised Information System.
DESIRE Consortium.  
www.desire-his.eu. 

If citing a deliverable use the authors'
names, date and title as given on the 
cover page and add "available at 
www.desire-his.eu".

Follow us